sexta-feira, 24, maio, 2024
spot_img

Paquistão lembra Dia da Solidariedade da Caxemira

O general de Brigada da embaixada do Paquistão, Muhammad Ahsan, e a equipe dele realizaram almoço com a imprensa em Brasília. Foto: Claudia Godoy .
 
O povo da Caxemira e o Paquistão celebram o ‘Dia da Solidariedade da Caxemira em 5 de fevereiro de 2023’. O dia é comemorado para refletir o apoio e a união com o povo de Jammu e Caxemira administrados pela Índia e para homenagear os caxemires que sacrificaram suas vidas para garantir a liberdade da ocupação indiana ilegal.
 
Comícios de solidariedade são realizados no território administrado pelo Paquistão de Azad Jammu e Caxemira, Paquistão e em todo o mundo pela Diáspora da Caxemira. A comemoração começou em 2004 e é comemorada por caxemires e paquistaneses em todo o mundo.
 
Ao observar este Dia de Solidariedade da Caxemira, o Paquistão reitera o apoio inabalável e total à justa luta pela independência do povo da Caxemira. Este apoio do Paquistão continuará até a realização do direito inalienável à autodeterminação, conforme as Resoluções da ONU, para o povo da Caxemira.
 
O tratamento repreensível da Índia aos jornalistas e defensores dos direitos humanos da Caxemira deixa claro que não hesitaria em fazer qualquer coisa para perpetuar sua ocupação ilegal e esconder seus crimes. Esta manifestação de terrorismo de estado indiano contra os caxemires é bem documentada por organizações de direitos humanos e humanitárias, bem como pela mídia internacional.
 
As ações ilegais e unilaterais da Índia de 5 de agosto de 2019 foram manifestamente contrárias à paz e ao direito internacional, incluindo a Carta da ONU, as Resoluções do Conselho de Segurança da ONU e a 4ª Convenção de Genebra. Estas medidas foram rejeitadas pelos caxemires, pelo Paquistão e pela comunidade internacional.
 
A contínua opressão indiana apenas fortaleceu a vontade dos caxemires de se manterem firmes em sua justa luta. A Índia deve perceber que a opressão e a violação sistemática dos direitos fundamentais não podem quebrar a vontade dos caxemires que lutam por sua autodeterminação e liberdade da ocupação indiana.
 
O Paquistão continua comprometido com a resolução pacífica da disputa de Jammu e Caxemira, de acordo com as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e os desejos do povo da Caxemira. A visão de paz e estabilidade duradouras no sul da Ásia permanecerá irrealizada sem uma solução justa e duradoura para a disputa de Jammu e Caxemira. Como o cerco militar da Caxemira já dura mais de dois anos e meio, os caxemires aguardam a atenção daqueles que defendem a causa da dignidade humana para lidar com sua situação.
 
A comunidade internacional deve exigir o fim das graves e generalizadas violações dos direitos humanos na Índia em IIOJK; reversão de suas ações unilaterais e ilegais de 5 de agosto de 2019; revogação de leis draconianas; acesso irrestrito a investigações supervisionadas da ONU em casos de execuções extrajudiciais e; implementação das resoluções relevantes do Conselho de Segurança da ONU sobre Jammu e Caxemira.
spot_img

Últimas publicações