UNESCO oferece ajuda para restaurar patrimônio destruído por Bolsonaristas

A UNESCO oferece apoio ao MinC para recuperação do patrimônio cultural em Brasília
A Representação da UNESCO no Brasil lamenta e repudia com veemência os fatos ocorridos ontem, 8 de janeiro, em Brasília (DF), quando manifestantes invadiram violentamente prédios públicos e depredaram obras e patrimônios da cultura nacional.
Bolsonaristas fizeram sete rasgos na tela “As Mulatas”, do Di Cavalcanti, que fica no terceiro andar do Planalto. Foto: Reprodução
Relógio Balthazar Martinot, 1808. Foto: Reprodução
É importante lembrar que Brasília está inscrita na lista de bens do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1987, reconhecimento que engloba as características urbanísticas e arquitetônicas da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes.
 
Quadro destruído. Foto: Reprodução
A Diretora e Representante da UNESCO no Brasil, Marlova Noleto, entrou em contato com a ministra da Cultura, Margareth Menezes, e colocou a Organização à disposição para apoiar o trabalho de restauração que já está sendo coordenado pelo órgão e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
 
Ainda hoje (9) ocorrerá uma reunião entre a UNESCO e o Ministério da Cultura para tratar do assunto. O Iphan ainda está realizando levantamentos no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e no Supremo Tribunal Federal (STF) para averiguar as obras de arte da cultura brasileira que foram danificadas.
 
Já se sabe que, além de diversas áreas desses edifícios, importantes itens do patrimônio sofreram danos, entre eles, a tela “Mulatas”, de Di Cavalcanti; o vitral “Araguaia”, de Marianne Peretti; e a escultura “A Justiça”, de Alfredo Ceschiatti.

Related blog posts